segunda-feira, 31 de agosto de 2009

NOVAS MENSAGENS

Não perca novas mensagens para download. Em Especial novas mensagens do Pr. João Romeu e novas da série construindo a espiritualidade cristã.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

SERVO OU RELIGIOSO?


Jr 2.13: -""O meu povo cometeu dois crimes: eles me abandonaram, a mim, a fonte de água viva; e cavaram as suas próprias cisternas, cisternas rachadas que não retêm água."

Ap 2.4-5: Contra você, porém, tenho isto: você abandonou o seu primeiro amor. Lembre-se de onde caiu! Arrependa-se e pratique as obras que praticava no princípio. Se não se arrepender, virei a você e tirarei o seu candelabro do lugar dele.

Nos dias de hoje há muita confusão entre o religioso e o cristão, o discípulo. Precisamos aclarar isto cada vez mais.

1) Introdução

Você já reparou que acostumar-se com algo não exige muito esforço? Repare no fato de alguém entrar em um recinto com um perfume muito doce e forte. Todos irão reparar. Alguns não gostarão, outros até se sentirão mal. Agora se você não pode sair deste local você naturalmente acaba se acostumando com este odor. Seja ele bom ou ruim.

Há um ditado interessante que diz: "o pecado é como o perfume, você acaba se acostumando com ele". Isto é real. Todo o perfume que passamos, tempos depois já estamos de tal forma acostumados com ele que nem notamos a sua presença em nós. Nós nos acostumamos tão facilmente com algo que elas se tornam corriqueiras para nós. Todavia não podemos ter o Senhor com corriqueiro para nós.

O que fez Jesus com os vendilhões do templo? Não estavam os homens daquela época acostumados com eles? Não estavam adaptados àquela situação? Vejamos qual é a posição do Senhor…

O que é uma cisterna? É um local para armazenar água. A religiosidade é como uma cisterna rota: começamos bem, mas no decorrer do tempo deixamos ao Senhor e ficamos com o passado, com as experiências do passado. Nossa comunhão e nossa vida com Deus tem que ser diária, permanente, tal qual o maná no deserto que era sempre para um determinado dia.

Com freqüência ficamos com a história do passado ou, o que é pior, com a história dos outros. Temos que ter a nossa própria história com o Senhor. Temos que estar diariamente buscando da fonte e não cavando cisternas rotas.

Nos dias de hoje há muita confusão entre o religioso e o cristão, o discípulo. Precisamos aclarar isto cada vez mais. Devemos que entender que o morno, ao qual está a ponto de ser vomitado, também está dentro da igreja. Não é do mundo que ele será vomitado, mas é para o mundo que será expulso.

Cada dia que passa aumenta a polarização que o Senhor nos falou em Ml 3.12-18. A cada momento, a cada tempo está se distanciando o justo do ímpio, o que serve a Deus daquele que não serve a Deus.

Para facilitar isto, faremos um paralelo entre o religioso e o discípulo. Não temos o intuito de julgar ninguém, porém não podemos deixar nenhum homem em confusão. Todos devem saber como Deus o vê.

2) Religioso ou Discípulo (servo)?

O Religioso:

- Tem a bíblia centralizada no homem. Enxerga tudo o que Deus tem para ele: graça e salvação.

- Interpreta a palavra mecanicamente, age como se ela fosse um tabuleiro de xadrez 2Co 3.6.

- Ouve verdades de Deus 2Tm 3.7.

- Obedece algumas regrinhas que as considera sumamente importante Mt 23.23.

- Aprende a saber muita coisa 1Co 8.1b

- Tem o eu no comando.

- Se esforça por imitar a Cristo, na carne

- Canta muitos cânticos

- Estuda sobre o Espírito Santo.

- Faz orações. Fala, fala e não ouve.

- Confia sua vida a uma instituição religiosa.

- Sua vida é uma eterna luta contra o mal. "Mente vazia oficina do diabo. Membros ociosos oficina do diabo".

- Vive com sede Jr 2.13.

- Faz prosélitos Mt 23.15.

- Não coloca sua vida na luz Jo 3.19-21.

- Não reconhece as autoridades como vindas de Deus.

- Seus olhos brilham para as coisas do mundo.

O Discípulo (servo):

- Tem a bíblia centralizada em Deus. O que importa é o propósito eterno de Deus.

- Tem revelação de Deus. Compara coisa espiritual com coisa espiritual 1Co 2.12-14

- Ouve a Deus Hb 3.7-8. Ninguém pode ouvir a Deus e não mudar.

- Ama a vontade de Deus e obedece a Cristo em tudo Jo 14.23.

- Aprende a guardar o que Cristo ensinou Mt 28.20.

- Tem a Cristo no centro de sua vida – é alguém que se esqueceu de si mesmo.

- Cristo vive nele Gl 2.20.

- Louva ao Senhor.

- Vive cheio do Espírito Santo Rm 8.5-9.

- Fala com Deus, dialoga com seu Pai.

- Confia sua vida a igreja que é o corpo de Cristo.

- Não tem tempo para praticar o mal, seus membros estão ocupados com a justiça Rm 6.13.

- Bebe muita água da vida.

- Dá fruto (faz discípulos) Jo 15.1-6,8,16.

- Anda na luz 1Jo 1.5-10.

- Acata todas as autoridades delegadas Rm 13.1.

- Seu atrativo é o Senhor, ama a simplicidade de Deus.

O coração do religioso não se sacia, não se satisfaz com as coisas simples de Deus. O religioso tende matar sua sede no mundo, nos atrativos do mundo ou do poder, que pode ser intelectual.

3) Conclusão :

O que o Senhor quer de nós?

O que o Senhor espera de você?

O que você tem feito?

Que tipo de homem você é?

O nosso Deus e Pai não é um Deus de desordem, Ele deseja que todo aquele que se aproxima d’Ele realmente viva como Ele quer e deseja, sem mesclas ou confusão.

domingo, 23 de agosto de 2009

NOVAS MENSAGENS

Aproveite as novas mensagens em áudio, em especial novas da SÉRIE CONSTRUINDO A ESPIRITUALIDADE CRISTÃ

LEPRA ESPIRITUAL - Lucas 5.12-16

Jesus, nessa passagem bíblica, opera uma cura milagrosa em um leproso.

Esse leproso, ao saber que Jesus estava naquela localidade, foi ao seu encontro, e prostrou-se aos seus pés. Jesus, num gesto de amor e misericórdia, toca àquele leproso e ministra cura sobre ele. O homem automaticamente é curado, e sai testificando daquele milagre.

Pode parecer apenas mais uma cura. Mas não o é. A lepra era uma das doenças mais estigmatizadas daquele tempo. Por, nesse período histórico, ser uma doença incurável, altamente transmissível, e de rápida degeneração, os leprosos tinham determinadas regras a cumprir nas comunidades judaicas:

· Deveriam morar fora das cidades, nas matas, cavernas ou cabanas;

· Não tinham permissão de ir ao templo;

· Se andassem em público, deveriam gritar “imundo, imundo” para outras pessoas saberem que ali ia um leproso e passarem ao longe.

O individuo leproso perdia todo convívio social e espiritual. Não tinha contanto com sua família, amigos e, muito menos, poderia participar das atividades religiosas da comunidade.

Assim, quando Jesus cura o leproso, ele não só o trás saúde, mas o re-insere em seu convívio social, restabelecendo seus vínculos afetivos.

MAS, NÃO É SOBRE ISSO QUE DESEJO FALAR.

QUERO, NESSA NOITE, APRESENTAR OUTRO TIPO DE DOENÇA, DE CUNHO ESPIRITUAL, QUE TEM ACOMETIDO GRANDFE PARTE DA SOCIEDADE ATUAL. ENTENDEREMOS UM POUCO DA LEPRA FÍSICA, PARA CONHECERMOS A CHAMADA “LEPRA ESPIRITUAL”.

1) LEPRA FÍSICA

A lepra (hanseníase, mal de Hansen ou ainda, mal de Lázaro), é uma doença infecciosa causada pelo bacilo Mycobacterium leprae que afeta os nervos e a pele e que provoca danos severos. O nome hanseníase é devido ao descobridor do microrganismo causador da doença Gerhard Hansen. É chamada de "a doença mais antiga do mundo", afetando a humanidade há pelo menos 4000 anos e sendo os primeiros registros escritos conhecidos encontrados no Egito, datando de 1350 a.C.

Um dos primeiros efeitos da lepra, devido ao acometimento dos nervos, é a supressão da sensação térmica, ou seja, a incapacidade de diferenciar entre o frio e o quente no local afetado. Mais tardiamente pode evoluir para diminuição da sensação de dor no local.

A lepra indeterminada é a forma inicial da doença, e consiste na maioria dos casos em manchas de coloração mais clara que a pele ao redor, podendo ser discretamente avermelhada, com alteração de sensibilidade à temperatura, e, eventualmente, diminuição da sudorese sobre a mancha (anidrose). A partir do estado inicial, a lepra pode então permanecer estável (o que acontece na maior parte dos casos) ou pode evoluir para lepra tuberculóide ou lepromatosa, dependendo da predisposição genética particular de cada paciente. A lepra pode adotar também vários cursos intermediários entre estes dois tipos de lepra, sendo então denominada lepra dimorfa.

Um doente de lepra é alguém que tem uma mancha ou manchas na pele com clara perda de sensibilidade.

2) LEPRA ESPIRITUAL

Igualmente a lepra física, a LEPRA ESPIRITUAL ataca um dos principais sistemas do ser espiritual: A SENSIBILIDADE.

Se a lepra física priva o individuo ter sensações como dor, calor, frio (dentre outras) a LEPRA ESPIRITUAL retira do individuo sua capacidade de sentir:

a. Deus

· O leproso espiritual tem sua capacidade de se relacionar com Deus limitada ou nula.

· A pessoa perde o sentido de importância e necessidade de Deus em sua vida.

· A pessoa não tem noção, mas simplesmente não consegue mais sentir a presença de Deus consigo e, pior ainda, já não acha mais importante ter Deus consigo.

· Quantos desdenham de nossa busca por Deus, de nossa vida de oração ou até mesmo se acham superiores intelectualmente porque não “precisam mais de Deus”? SÃO LEPROSOS ESPIRITUAIS, pessoas que perderam a sensibilidade por Deus e estão doentes.

b. O Próximo

· Muitas pessoas perderam a sensibilidade para com aqueles que estão à sua volta.

· Afastam-se e acham que os outros estão longe de si.

· Vêem a dor dos outros, mas não sentem nada.

· Perdem o desejo de estar perto daqueles que os amam.

· Isolam-se e acham que estão bem assim: ESTÃO DOENTES.

3) CURA PARA LEPRA

a. FÍSICA

Hoje em dia, a lepra é tratada com antibióticos, e esforços de Saúde Pública são feitos para o diagnóstico precoce e tratamento dos doentes, além de próteses de pacientes curados e que tiveram deformações e para a prevenção voltada principalmente para evitar a disseminação.

Apesar de não mortal, a lepra pode acarretar invalidez severa e/ou permanente se não for tratada a tempo. O tratamento comporta diversos antibióticos, a fim de evitar selecionar as bactérias resistentes do germe. A OMS recomenda desde 1981 uma poliquimioterapia (PQT) composta de três medicamentos: a dapsona, a rifampicina e a clofazimina. Essa associação destrói o agente patogênico e cura o paciente. O tempo de tratamento oscila entre 6 e 24 meses, de acordo com a gravidade da doença.

Quando as lesões já estão constituídas, o tratamento se baseia, além da poliquimioterapia, em próteses, em intervenções ortopédicas, em calçados especiais, etc. Além disso, uma grande contribuição à prevenção e ao tratamento das incapacidades causadas pela lepra é a fisioterapia. No Brasil o termo lepra foi substituído por Hanseníase, devido à discriminação sofrida pelos pacientes.

Ainda no Brasil, há a ONG MORHAN que faz um trabalho contra o preconceito e ajuda aos portadores da doença.

b. ESPIRITUAL

O leproso do texto de Lucas nos mostra como ser curados da lepra espiritual:

b.1. RECONHECER QUE ESTAMOS DOENTES

· Não adianta querer se curado se você continuar se enganando, achando que está tudo bem, tudo legal.

· O processo de cura começa pelo reconhecimento da doença.

b.2. IR AO ENCONTRO DE JESUS

· O segundo passo é buscar o remédio e, diferentemente da lepra física, não existe fórmula química, mas somente uma pessoa pode curar: JESUS.

4) O QUE JESUS PODE FAZER?

a. Tocar o doente

· A primeira ação que Jesus tem é restabelecer a sensibilidade, por isso ele toca.

b. Ministrar cura

· Após restaurar a sensibilidade, Jesus cura, renviando-o de onde você saiu, restabelecendo seus laços afetivos, dando-se chance de começar de novo.

É esse o processo de cura que Cristo tem para o leproso espiritual.

Se você está doente, Jesus está pronto para te curar.

Siga esses passos e fique livre da LEPRA ESPIRITUAL hoje, em nome de Jesus.

domingo, 16 de agosto de 2009

Jesus, o Radical - João 6.66-71

Introdução:

- Jesus faz um discurso pesado para os ouvidos dos judeus:

· Eu sou o pão que desceu dos céus.

· Deve-se comer deste pão para adquirir a vida eterna.

· Quem não comer deste pão e beber deste sangue não tem parte com Deus, e não herdará a vida eterna.

- À vista deste discurso muitos discípulos se escandalizaram e abandonaram a Jesus.

Transição:

- O discurso pesado de Jesus fez com que o número de discípulos diminuísse em grande quantidade.

· Muitos estavam atrás de Jesus só porque tinham comido do pão multiplicado, ou porque sabiam que ele tinha andado sobre as águas.

· Estes mesmos que tinham visto esses milagres clamavam para que Ele continuasse fazendo outros sinais miraculosos (v. 30)

- Em contrapartida, Jesus aumentou o tom de seu pesado discurso, e só ficaram aqueles que realmente foram escolhidos por Jesus.

PERGUNTA PARA HOJE:

Mudou Jesus ou mudaram os discípulos?

O propósito deste sermão é mostrar que Jesus continua fazendo as mesmas demandas que fez no passado e quem não estiver disposto a um compromisso sério com ele, que pule do barco imediatamente.

A. JESUS TEM UM PROGRAMA DE GOVERNO TOTALMENTE RADICAL

1. É delineado por Deus (38). Foi confirmado com um selo (27)

2. É um programa novo, que não nada a ver com a velha ordem (32, 58).

- representada na pessoa de Moisés

- simboliza um velha religião, cheia de pré-conceitos que escravizam.

3. Acabar com a sede e com a fome do ser humano desumanizado

- O alvo de Jesus é suprir o vazio existencial do ser humano.

- Todos nós temos um vazio interior que só Deus pode preencher.


4. Todos os seres humanos pertencem a um tipo de governo: luz ou das trevas.

- Governo é o tipo de mentalidade que nos controla.

· Conceitos, regras, forma de pensar e agir.

- Ou somos controlados pelo jeito de pensar do Reino de Deus, ou somos governados pela mentalidade do reino das trevas.

B. JESUS EXIGE UM COMPROMISSO COM ELE TOTALMENTE RADICAL

1. Em primeiro lugar tem que crer n’Ele.

- Por cinco vezes nesse capítulo, Jesus apresenta a importância de crer n’Ele.

- Crer não é simples confiança, mas para por uma convicção interior, uma certeza no coração e na mente que fundamenta o jeito de viver.

2. Tem também que experimentar a vida de Jesus.

- não somente a teoria do cristianismo, mas um experimento dos seus valores.

- Quando Jesus fala de comer a carne e beber o sangue (v. 53-57), Jesus conclama a todos para experimentarem em suas vidas dos valores, conceitos, jeito de viver de Jesus.

3. Não tem lugar para os descrentes (64)

- tem gente que segue, mas não se compromete

- tem gente que parece ser cristão, mas se escandaliza com a verdades de Jesus

- tem gente que não consegue entender o que Cristo ensina

4. Há alguém com vontade de abandonar Jesus? (67)

- Faça-o sem demoras, não perca mais o tempo.

5. “Quão difícil é ser cristão” Robert Browning

- É difícil na medida em que deve-se mudar não só o jeito de falar ou vestir, mas o jeito de pensar e viver.

C. JESUS OFERECE UMA RECOMPENSA TOTALMENTE RADICAL

1. A vida eterna

- a vida eterna é muito mais do que morar no céu.

· Vida eterna é viver desarraigado de qualquer raiz material, é viver plantado em Deus, com esperança em Deus.

2. Participará da ressurreição no último dia

· Promessa de vida após a morte.

· Só quem está arraigado em Deus pode nascer e dar frutos na Nova Vida.

CONCLUSÃO:

- Somente nos restam duas alternativas:

(1) Abandonar Jesus

(2) Seguí-lo a que preço for (67-68)

- Cristo quer um compromisso sério com ele. É chegada a hora de fazê-lo.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

NOVAS MENSAGENS

Não perca. Novas mensagens para baixar. Em Especial, as últimas do Pr. João, além de novas da série construindo a espiritualidade Cristã.

AUTO IMAGEM NEGATIVA - Juízes 6.11-23

A Principal razão de uma auto-imagem negativa é a falta de amor fundamental. Sem este amor como alicerce, a pessoa não se sente amada e aceita. A pessoa que experimentou tal amor tem uma confiança de que é aceita, não importa o que ela faça ou deixe de fazer. Seus sentimentos e pensamentos a respeito de si mesmo não dependem de suas habilidades ou desempenho.

A pessoa que se aceita tem a seguinte ótica: “Eu sou bom porque Deus me fez, e Ele não faz besteiras”.

Se eu me aceito, normalmente enxergo a vida de forma positiva, Se eu não me aceito, normalmente enxergo a vida de forma negativa. É uma atitude que me norteia, dando óculos emocionais através dos quais enxergo a vida toda.

1. UM CASO BÍBLICO: Vejamos um caso bíblico: GIDEÃO (Juízes 6.11-23)

Gideão vivia em uma época aonde a sua nação vinha sendo dominada pelo midianitas. Eles viviam da agricultura. O problema é que Israel já vinha amargando um ciclo contínuo de fracassos, porque todos anos, por ocasião da colheita, os midianitas vinham e saqueavam completamente todo o labor de um ano de trabalho.

Através das respostas de Gideão podemos fazer uma leitura da auto-imagem da nação e o processo de autodepreciação que viviam. Gideão tinha um senso de derrota em sua mente e pensamentos.

Gideão tinha uma auto-imagem de si e de seu povo muito baixa.

RESULTADO: Um ciclo de Derrotas.

A história bíblica relata que Gideão se recuperou de maneira incrível desse ciclo de derrotas a ponto de levar seu povo a uma vitória inesquecível contra o exército midianitas.

- Sua reação e vitória começaram no seu conceito sobre si mesmo. Vejamos sua história:

a) Gideão se coloca como Vítima das circunstâncias – V.11

- Cresceu com medo dos midianitas.

- Desde pequeno ouvia falar que era menor... o medo paralisa, tornou-se complexado.

- Tinha uma ótica distorcida de si mesmo e das circunstâncias.

- Gideão se sentia fraco, pobre e miserável.

b) Gideão ouve aquilo que Deus tem a dizer a respeito do seu potencial – V.12.

O Senhor investe em sua auto-estima. Declara que ele tem um grande valor.

O Senhor te diz: Você é um escolhido para a vitória, porque o Senhor não faz provisão para derrota.

Deus olha para este homem frágil, medroso e abatido, escondendo-se no lagar e lhe diz: “homem valente” “você é uma pessoa de sucesso” “você é líder de multidões”.

Você não é o que pensa que é. Você é o que Deus diz que você é.

JESUS olhou para o instável Pedro e lhe disse: Tu és rocha!

Deus olha para um mau caráter como Jacó, e lhe diz: Tu és príncipe!

O segredo é ouvir a Deus e quando O ouvimos Ele nos dá a sua benção. Ele muda nossa visão de nós mesmos e nossa direção.

Tudo começou aqui, e pode começar com você. Ouça o que Deus tem a dizer a respeito do seu potencial!

- VOCÊ É UM SUCESSO! VOCÊ É VALOROSO!

c) Gideão ainda responde Negativamente – V. 13

Sua resposta começa com um “ai”.

Como ele estava enganado sobre si mesmo. Ele se sentia inadequado, vazio, desiludido “eu estou acabado, eu não tenho mais nada em mim que preste, não sou inteligente o suficiente”...Gideão entrou em uma crise de autopiedade.

Somos o produto da visão que alimentamos. Ao nos comparar com os outros os complexos de inferioridade nos escravizam, esquecemos de nossa identidade em Cristo.

Resultado: Insatisfação, fracasso...

- PARE de dizer o que o diabo quer que você seja! Seja um Líder de sucesso! VOCÊ PODE!

d) Deus motiva Gideão a começar com aquilo que tem - V.14.

Em outras palavras: Você pode! Você tem força! Eu estou contigo!

Deus sempre vai investir em sua auto-imagem e auto-estima. Mesmo que os outros não o façam.

Deus não disse assim: “Levante-se rapaz, você é uma pessoa maravilhosa, você tem um talento incrível... etc...”

Não! DEUS SIMPLESMENTE LHE DIZ O QUE ELE É ! “Vai, na tua força!”.

Em outras palavras: “Você precisa começar de onde você está, você precisa dar o primeiro passo”.

DIGA: “Ainda que eu não tenha tudo o que preciso ter, Deus irá suprir aquilo que eu ainda não tenho”.

e) Gideão ainda luta contra a verdade e dá outra resposta negativa – V.15

A auto-imagem negativa às vezes está tão arraigada em nós que lutamos contra a verdade de Deus.

Complexo de inferioridade.

Crise de habilidade.

Crise de credibilidade consigo mesmo.

Pecados conseqüentes da baixo-estima e auto-imagem negativa:

Incredulidade, revolta, omissão, murmuração, desespero, desânimo.

f) Deus investe novamente com uma Promessa – V.16

O que Deus faz é relembrar das promessas feitas;

O que Deus faz é nos mostrar que com ele, não existe auto-imagem negativa.

g) Gideão começa a mudar a fonte da sua auto-imagem e uma nova perspectiva - V.17.

Deus te trouxe aqui neste reencontro, para que você exponha toda sua insegurança, e para que você saia daqui com a certeza de que TUDO DE DEUS TEM PARA FAZER E TUDO QUE DEUS QUER DE VOCÊ.

- Os complexados e medrosos sempre querem uma prova a mais de que vão conseguir.

- Deus já tem lhe dado provas de que está contigo.

domingo, 9 de agosto de 2009

RECONHEÇA DEUS COMO PAI, E DESFRUTE DE UMA VIDA DE AMOR - João 3.16; Romanos 6. 1. 14

Hoje, estamos comemorando o dia dos pais.

Muitos celebram este dia com almoço, presentes e celebrações.

Normalmente, a figura paterna é a do PROTETOR, do PROVEDOR, daquele que cuida e sustenta.

As Escrituras, principalmente a partir de Cristo, também nos apresentam Deus como Pai. Mas, além de protetor e provedor, Deus é apresentado como Pai que ama.

Foi um escândalo para os judeus quando Jesus chamava Deus de “Aba” (expressão aramaica sinônima de “paizinho”, como o balbuciar de uma criança de colo). Eles não concebiam Deus como Pai de “recém nascido, aquele que faz tudo para o bem estar dos seus.

Mas Jesus apresenta Deus assim. Os Evangelhos apresentam Deus assim.

O AMOR DE DEUS É TAMANHO QUE ELE DEU O QUE TINHA DE MAIS VALOROSO

O bem mais valioso que Deus tinha, ele ofereceu a nós: SEU FILHO.

Por amor a mim e a você Deus entregou Jesus, para morrer em nosso lugar. Ele pagou a nossa dívida, para que pudéssemos novamente ter pleno acesso ao Pai.

ATITUDE CONTRÁRIA AO AMOR DO PAI: Rm. 6.1-14

Deus, entregando Jesus, nos deu a oportunidade de vivermos uma vida sem a escravidão do pecado.

Mas, quantas vezes temos nos entregado a paixões carnais, em busca de satisfação que só podemos encontrar em Deus?

Só existe vida com amor, quando estamos debaixo do amor de Deus.

Não existe amor, quanto vivemos debaixo do pecado.

Quando se fala de amor, fala-se de atitudes desvinculadas de troca. Pois sentimentos vêm e vão. O que realmente permanece são as atitudes daquele que ama que dá muitas vezes o mais precioso, sem esperar nada em troca.

Muitos de nossos relacionamentos de esvaem, pois estamos constantemente esperando retribuição. E se não somos retribuídos, encontramos resposta para o fim desse relacionamento. Isso não é amor: Amor é escolha, é atitude. ISSO É O QUE DEUS FEZ POR NÓS, MESMO SABENDO QUE MUITOS DE NÓS NÃO DARÍAMOS A MÍNIMA PARA SUA ATITUDE.

ATITUDE CORRETA AO AMOR DO PAI: OFERECER-SE A DEUS

Paulo fala que o reconhecimento daquele que entende o amor de Deus é o OFERECER-SE. Entregar-se a Deus. Em Romanos mesmo Paulo exorta a Igreja a apresentar-se a Deus como sacrifício. Além disso, Paulo fala que essa atitude pode ser considerada como culto a Deus.

Quantos de nós temos nos oferecido como oferta no altar de Deus?

Quantos podemos nos considerar sacrifícios vivos à Deus?

Deixemos de lado nosso ego, nossas emoções, e nos derramemos ao Pai que nos ama tanto, e nos entreguemos a Ele, nesta noite!