segunda-feira, 16 de agosto de 2010

A PARÁBOLA DOS TALENTOS - Mateus 25.14-30

CLIQUE AQUI E BAIXE ESSA MENSAGEM EM ÁUDIO

· Jesus estava junto aos doze discípulos, no monte das Oliveiras, e pronunciou uma série de sermões sobre os acontecimentos dos últimos dias:

o Mt. 24.3-14 (O principio das dores);

o Mt. 24.15-28 (A grande tribulação);

o Mt. 24.29-31 (A vinda do Filho do homem);

· Logo em seguida, Jesus começa a discursar sobre a conduta de seus servos nesse tempo:

o Mt. 24.32-44 (Exortação a vigilância – Figueira);

o Mt. 24.45-51 (Parábola do servo bom e mal);

o Mt. 25.1-13 (As dez virgens);

o Mt. 25.14-30 (Parábola dos talentos)

· Posteriormente, volta a falar sobre acontecimentos dos últimos dias:

o Mt. 25.31-46 (o grande julgamento).

· Dessa forma, a parábola dos talentos está inserida no contexto do discurso escatológico de Jesus.

o Jesus, ao falar das últimas coisas, alerta seus discípulos sobre a necessidade de se exercer de maneira sábia e eficaz as dádivas recebidas.

· Vamos nessa noite estudar a parábola dos talentos a partir de suas palavras-chave e retirar ensinos importantes para esses dias que vivemos:

1) TALENTO:

· 1 Talento equivalia a 6.000 denários, ou seja, a seis mil diárias de um trabalhador.

· Suposição: diária = R$ 20,00; 1 Talento = R$120.000,00

· Quem deu o talento? O SENHOR

· Quem recebeu o talento? SEUS SERVOS

· Como os talentos foram repartidos? SEGUNDO A CAPACIDADE DE CADA SERVO

· O que o SENHOR pediu que os servos fizessem com os talentos? NADA.

· NÓS TEMOS UM SENHOR.

ü Quem é seu SENHOR?

· NÓS RECEBEMOS TALENTOS.

ü Qual é o seu talento?

· O QUE NOSSO SENHOR TEM PEDIDO EM RELAÇÃO AOS TALENTOS?

ü O que Deus te pede em relação ao talento que você recebeu?

2) AJUSTAR CONTAS

· Ao voltar, o SENHOR pede conta dos talentos aos seus servos.

· O que ELE esperava se não tinha pedido nada aos seus servos?

ü Atitude

· QUAL É A EXPECTATIVA DE DEUS EM RELAÇÃO AO QUE ELE TE DEU?

ü Atitude

3) RETRIBUIÇÃO: Porque a todo o que tem se lhe dará, e terá em abundância; mas ao que não tem, até o que tem lhe será tirado. (v.29)

· A retribuição do SENHOR foi dada em relação à atitude do servo em relação ao que recebeu.

· Os servos que multiplicaram os talentos recebidos ganharam como recompensa o LOUVOR DO SENHOR e foram convidados a FESTEJAR (GOZO).

· O servo que teve medo, acomodação, devolveu o talento que recebeu. Por isso teve seu talento tirado, e recebeu como recompensa a exclusão da presença de seu SENHOR.

· Qual é a recompensa que Deus te dará, a partir daquilo que você tem feito com seus talentos recebidos?

ü Infelizmente, na nossa igreja, muitos seriam lançados foram, pois estão com seus talentos enterrados.

4) CONCLUSÃO

· Se quisermos tanto as recompensas de Deus (tanto materiais quanto espirituais), precisamos multiplicar os talentos postos em nossas mãos.

· Lembre-se: multiplicar talentos é obrigação daqueles que receberam, pois terão que prestar contas ao SENHOR.

· Deixemos o comodismo, a apatia, a preguiça e as desculpas prontas, pois isso de nada adiantará diante do SENHOR, como não serviu para o servo inútil.

· Se desejarmos uma igreja viva, eficaz e alegre, deixemos de ser mortos, acomodados e apáticos!